13 de jan de 2010

O melhor lugar para se guardar tesouros

Qual o melhor lugar para se guardar os ganhos que cada indivíduo tem conquistado? Bem essa pergunta não é original, tanto pobres como ricos querem saber como e de que forma poderão esconder os seus bens. O homem moderno se utiliza dos serviços bancários, da tecnologia que lhe permite movimentar valores sem mesmo vê-los ou ter que expô-los. Mas nem sempre foi assim, por séculos a maneira mais segura de se guardar riquezas era enterrando, essa pratica era comum, comum a tal ponto que não poucos eram os que se dedicavam a procura de tesouros, dessa forma templos eram profanados, túmulos eram invadidos, e cofres eram abertos tudo por conta da busca de um tesouro. Há muito o tesouro ocupou um espaço na mente coletiva das pessoas uma vez que eram cercados de mitos e de significados, representavam perigo, busca, procura. O tesouro era o premio para os que labutavam em uma expedição dura.

Assim sendo tesouros assumiram o símbolo de premio para os que não se contentavam com o que esta na superficialidades. Se pensarmos na alma humana como sendo o lugar onde são escondidas todas as experiências humanas então a busca do tesouro deveria acontecer como sendo uma procura de valores dentro de si, isso quando de fato lá se encontram. Desta forma tesouros são os arquétipos de valores que valem ser guardados, escondidos, preservados ou que devem ser conquistados, procurados, buscados e quando encontrados festejados. Contudo cada tesouro em virtude de sua natureza tem a sua forma de ser guardado uma vez que as ameaças a esses tesouros não são as mesmas logo necessitam de tratamento diferenciado.

Jesus nos revela 4 tipos de tesouros no capitulo 6 e versos 19 a 21 do evangelho de Mateus. Ele nos fala dos tesouros que as traças corroem. Quando ele fala desse tipo de tesouros ele esta falando de roupas e vestimentas, uma forma de também investir os recursos conquistados, mas não só isso, também uma forma de demarcar a posição social, a classe a que se pertence, e o papel que se ocupa socialmente. Desde muito cedo as pessoas tem sido avaliadas e julgadas pelas roupas que vestem, para muitos o tesouro consiste no status que ocupam em uma comunidade. Mas Jesus adverte as traças ao corroem as roupas também consomem a posição. O próprio uso não destrói apenas as roupas mas também a posição, o status, e o lugar que se ocupa.

Outro tesouro que Jesus fala é o tesouro consiste naquele em que a ferrugem consome, ou seja as estruturas feitas de ferro, Jesus nesse momento estava falado daquilo que o ferro era utilizado a saber espadas, carros, e equipamentos, na época de Jesus essas estruturas eram responsáveis pela manutenção da ordem e do poder. Para muitos o tesouro que vale a pena ser guardado consiste em poder, comando, controle, força, mando, mas também esse tesouro é destruído com o tempo, mais dia ou menos dia, o poder sofre a corrosão da mesma forma que o ferro que é exposto ao clima.

Outro tesouro são os próprios valores em espécie. Até a época moderna, a expressão valores eram utilizadas unicamente para identificar e quantificar o que estava cunhado nas moedas. A impressão da moeda mais o peso de seu material revelava o quanto se estimava a moeda. A moeda é portanto a riqueza real a capacidade de comprar as facilidades da vida, de adquirir os bens desejados, de conquistar as aspirações. Na contemporaneidade a expressão valor passou a receber mais um sentido, passou a exprimir aquilo que se acredita e que se estima muito, do que não se abre mão. Mas Jesus também afirma que os tesouros em forma de valores são expostos ao roubo e ao saque, por mais que se guarde eles são sujeitos a serem escavados, procurados, e levados, o mesmo pode acontecer com os tesouros existenciais, uma vez que a vida acontece, e que fatalidades acontecem também os valores morais as vezes correm o risco de serem sacados dos corações de quem os cultiva. Ladrões não roubam apenas dinheiro, ouro, prata, e jóias, roubam também valores morais de seus donos tão logo esses vejam os seus bens e sua integridade estejam sendo ameaçados.

Mas Jesus nos fala de um outro tesouro ao qual a traça com a dinâmica da vida não é capaz de corroer, a ferrugem com o tempo não é capaz de consumir, ou mesmo os ladrões não são capazes de por as suas mãos. Esse tesouro não é claramente revelado, e sua natureza não é exaustivamente descrita, contudo é possível deduzi-lo uma vez que jesus nos revela onde esse tesouro é guardado e onde ele não pode ser guardado.

Esse tesouro não é guardado na terra, logo não é material. É guardado no céu, no cofre que esta na casa de Deus, no lugar onde os homens não podem entrar se não forem convidados, logo este tesouro é sobretudo espiritual. Na realidade esse tesouro consiste no credito que cada ser humano poderá ter com Deus, será a aprovação desse, o reconhecimento dele, uma posição que não depende das roupas ou lugar social de cada pessoa, mas antes do lugar no qual pessoa pode estar a saber debaixo da sombra de cruz de Cristo. Esse tesouro não depende do poder e da força que cada pessoa vê a sua disposição, mas antes do poder de outro, Deus que o concede aqueles que ele quer que sejam feitos seus filhos. Esse tesouro tão pouco consiste nos valores monetários ou mesmo morais que cada um possui, antes é constituído de outro tipo de moeda corrente no reino de Deus a saber a misericórdia, o perdão e o amor, algo que somente Deus pode cunhar no coração das pessoas, uma riqueza que é dele, vem de suas mãos e por ninguém pode ser pilhada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...