16 de nov de 2010

R E L I G I Ã O. O que é isso?


Se alguém supõe ser religioso, deixando de refrear a língua, antes, enganando o próprio coração, a sua religião é vã. A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.
Tiago 1.26 e 27

A palavra religião aparece 4 vezes na versão Revista e Atualizada, já na Revista e Corrigida de 1969 aparece 3 vezes. Em todos os casos essa palavra aparece no Novo Testamento. Na carta de Tiago em ambas as versões ela aparece 2 vezes, exatamente no capitulo primeiro. Nos dois casos é tradução da palavra grega yrhskeia - threskeia, cuja raiz é o adjetivo threskos que significa 1) temor ou adoração a Deus, 2) tremor. Assim sendo threskeia, a palavra que aparece no original da carta de Tiago é um substantivo feminino que significa 1) adoração religiosa, aquilo que consiste de cerimônias, disciplina religiosa em si.

threskeia ainda aparece em Atos 26.5 tanto na Revista e Atualizada como na Revista e Corrigida. Contudo essa palavra grega não é o original de atos 25.19, nesse verso a palavra religião aparece apenas na Revista e Atualizada, uma vez que a Revista e Corrigida utiliza a palavra superstição. Nesse caso a Revista e Corrigida parece aproximar-se mais do original tendo em vista que no grega a palavra que compreende superstição em Atos 25.19 é  deisidaimonia, um substantivo feminino, que usualmente é traduzido por reverência a deus ou aos deuses,, e no sentido pejorativo superstição.

A Vulgata de Jerônimo traduziria threskeia, onde ocorre, a saber Atos 26.5; Tiago 1.26 e 27 por Religio, em Atos 26.19 aparece a palavra latina superstitione. Jerônimo ainda se utilizaria da palavra religio em Êxodo 12.26 e 43, alem de Números 19.2. Tanto nesta ultima como em Êxodo 12.43 e é tradução de chuqqah, substantivo que significa 1) estatuto, ordenança, limite, lei, algo prescrito. Já em Êxodo 12.26 a palavra original é ‘abodah ou ‘abowdah, substantivo que pode ser traduzido como 1) trabalho, serviço, (de servo ou escravo), serviço (de cativos ou súditos), serviço (de Deus).

A versão King James autorizada de 1769 utiliza a palavra inglesa ordinance para traduzir chuqqah, em Êxodo 12.43, e Números 19.2, já em Êxodo 12.26 onde aparece ‘abodah a KJV – 1769 utiliza a palavra service. No Novo testamento essa mesma versão anglo-saxonica usa critérios parecidos com a Revista e Corrigida, uma vez que em Atos 25.19 aparece a palavra superstition, e em Atos 26.5 e Tiago 1.26 e 27 aparece a palavra religion.

Interessante mesmo é o original da palavra escolhida pela RA e pela RC para traduzir a palavra grega que se encontra em Tiago 1.27, thlipsis. Nas duas versões aparecem a palavra tribulações. Essa escolha ainda acontecerá em Mateus 24.2; Marcos 13.19; Romanos 5.3; Atos 7.11 e 8.35. Em 2º Coríntios 8.13 a palavra escolhida é sobrecarga, em Romanos 2.9 e 8.35 a palavra escolhida é angustia.

A Septuaginta utiliza essa mesma palavra 12 vezes no Antigo Testamento. sempre no sentido angustia, tribulação e calamidade, tumulto. Contudo segundo STRONG thlipsis tem sua origem na palavra grega thlibo um verbo que pode ser traduzido por 1) prensar (como uvas), espremer, pressionar com firmeza. Consiste também em 2) caminho comprimido ou 3) metáfora para. aborrecer, afligir, angustiar. Assim sendo o substantivo feminino yliqiv thlipsis pretenderia significar 1) ato de prensar, imprensar, pressão. ou no sentido metafórico de opressão, aflição, tribulação, angústia, dilemas

Desta a forma o que parece que Tiago pretende no final do primeiro capitulo é conceituar a adoração, bem como o culto, e não religião, pelo menos nos termos como entendemos religião hoje. De imediato ele adverte sobre a cautela no julgamento bem como na manifestação da ira. Convoca ainda ao abandono do que ele chama de “acumulo de maldade”. Por acumulo o original usa a palavra grega perisseia, uma palavra que os gregos utilizavam para descrever o acumulo de cera nos ouvidos. Tiago segue aconselhando precaução a que a doutrina não seja algo apenas para ser aprendido, mas vivido na pratica.

Esse parágrafo termina com a definição de culto, ou de religião segundo as nossas traduções. Segundo Tiago o verdadeiro adorador é alguém que modera a sua fala e cuja a pratica de culto ou serviço, ou liturgia consiste em, episkeptomai que pode ser traduzido por 1) cuidar ou preocupar-se, inspecionar, examinar com os olhos. Nesse caso “examinar com os olhos” as viúvas e órfão que estão sujeitados a opressão, que são pressionados, agentes passivos de atos de perversão ou de tirania.

Assim sendo Tiago 1.27 poderia nos dizer o seguinte.


“… A adoração e o culto verdadeiro a ser prestado a Deus consiste em assistir de forma presente os órfãos e as viúvas que estão sendo vitimas de opressão e tirania alem de manter-se incontaminado do mundo..”

Bibliografia


FLORENZANO. Everton. Dicionário Inglês – Português, Português – Inglês. Nova Cultural. São Paulo. 1987.
HOUAISS. Editora Objetiva, 2009
JERONIMO. Vulgata On Line. Módulo Avançado. Versão 3.0. SBB. Ontário 2002
KASCHEL, Werner & ZIMMER, Rudi. Dicionário da Bíblia de Almeida. SBB, Barueri, 1999.
KING JAMES. Bíble King James 1769. Bíblia On Line. Módulo Avançado. Versão 3.0. SBB. Ontário 2002
STRONG. Dicionário Bíblico Strong – Léxico hebraico, Aramaico e grego de Strong. SBB. Barueri. 2002


Um comentário:

  1. Gostei muito da esplanação sobre o tema.
    Quero sua permissão para postar este texto no meu blog, com a devidas referencia de autoria e fonte.

    abs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...